sexta-feira, 5 de julho de 2019

A vida moderna de Wellington - Para baixo e avante!

A vida moderna de Wellington - Para baixo e avante!
Meu nome é Wellington e no episódio de hoje aprenderemos que cada um escala o monte Everest que tem.

O que era para ser uma ida qualquer até o centro da cidade, veio a se tornar o combo joelho ralado e honra manchada, tudo porque decidi desafiar os limites do meu corpo e exagerar no esforço físico.

Andando pela calçada, me deparo com um montinho que literalmente não chegava a uns 15cm de altura, formado por um resto de cimento ali abandonado. Tal qual Raul Gil, optei por dar um pulinho maroto e ultrapassar o obstáculo sem precisar descer para a rua. Bom, aparentemente estou em pior forma física do que o vovô, já que meu salto foi tão alto que se passassem uma lâmina de barbear em baixo do meu pé no momento da decolagem, arrancaria todo o solado.

Fui ao chão da forma mais esdrúxulo possível, enquanto entoava um tímido, porém sonoro, grito de dor, que foi suficiente para chamar a atenção do clã de metalúrgicos no outro lado da rua. Entre uma faísca e outra, o grupo chorava de rir do jovem idoso que vos fala, sem qualquer pudor.

Levantei como se nada tivesse acontecido, apenas sentindo uma leve dificuldade acima do que meu padrão atlético proporciona... Pelo menos na minha cabeça, já que a cena real era um garoto rindo de nervoso, com aquela velha cara de quem cagou na roupa e limpando a poeira do joelho machucado enquanto chiava de dor.

A moral da história é a seguinte: respeite seus limites.

   Blog Zona do Guaxinim.