3 motivos para maratonar Cobra Kai

A terceira temporada de Cobra Kai, uma das séries mais cobiçadas e divertidas do momento, foi liberada pela Netflix recentemente, no dia 01 de janeiro.

Particularmente, tratei logo de consumir os novos 10 episódios assim que foram lançados, como havia feito com a primeira temporada, ainda no YouTube Red. Diga-se de passagem, a obra está cada vez melhor!

No que isso resultou? Em uma indicação para vocês, é claro! Vamos acompanhar três tópicos que fazem de um bando de caratecas a melhor opção para sua próxima maratona:

Vários lados de uma mesma história

Em How I Met Your Mother, o personagem Barney Stinson afirma torcer por Johnny Lawrence nos filmes de Karatê Kid, repugnando a atitude de Daniel LaRusso ao chegar na cidade e roubar a namorada do rapaz. Esse não deixa de ser um ponto de vista válido, não é mesmo?

Cobra Kai bebe bastante dessa fonte, trabalhando em cima das diferentes visões de um mesmo evento, seja ele atual ou de décadas passadas. Com isso, prepare-se para rever seus conceitos sobre vilões e mocinhos!
John Kreese e Johnny Lawrence em frente ao dojô

Nostalgia é sim um trunfo, mas não o único!

Apesar de ser bem legal reconhecer easter eggs e reencontrar personagens, deleitando-se daquele sentimento nostálgico, a trama, por si só, é totalmente funcional! Tanto o público mais jovem, como também a velha guarda que simplesmente não acompanhou a saga original de Daniel-san (se é que isso é possível), será capaz de criar vínculos com a história e seus cativantes personagens.
Hawk e Miguel

A genial construção de Johnny Lawrence

Um tiozão, adepto da cultura do bullying desde a infância, rockeiro e cheio de desilusões na vida... não há como tudo mudar da noite para o dia! Vemos Johnny evoluir a todo instante, porém nunca deixando de lado as atitudes condizentes a sua essência.

O mesmo sensei que faz um super discurso motivacional é aquele que coloca um apelido escroto em seu discípulo.
Miguel e Johnny curtindo um show de rock