Joguei Final Fantasy IX pela primeira vez em 2021

Final Fantasy IX
Aproveitando a disponibilidade de Final Fantasy IX no Xbox Game Pass, decidi finalmente me aventurar em um dos jogos mais consagrados do gênero RPG. Assim, acabo por trazer aquele que deve ser o texto de primeiras impressões mais atrasado da história!

Estamos falando de um jogo lançado há gerações, mais precisamente em 2000, o que torna acertivo o jargão “envelheceu muito bem”.

A estética é um charme a parte, lembra um livro de fantasia ilustrado. Ambientes, combinação de cores, traços, música, enredo, enfim... tudo parece cativar e prender a sua atenção, deixando completamente de lado pequenos detalhes datados (profundidade de tela desnecessária ou mal utilizada em certos momentos, por exemplo).

Outro chamariz está nos personagens cativantes, principalmente o inocente Vivi. Eles são fiéis à personalidade, essência, e muito bem construídos. Além disso, evoluem sem atropelos com o passar dos capítulos. Dá gosto ler os diálogos e acompanhar as cenas (destaque para o sistema de eventos simultâneos), realmente compreender o que está acontecendo.

E como terceiro ponto a destacar, temos o equilíbrio perfeito entre complexidade e intuitividade. Aprender a trabalhar com os personagens é uma tafera tranquila para quem está familiarizado com o gênero, independente de já ter jogado outro Final Fantasy. Ao mesmo tempo, há uma gama de possibilidades com relação aos itens, magias e ações dentro ou fora das batalhas, o que adiciona um grau de dificuldade interessante.