30 anos de Pare! Senão Mamãe Atira

Pare! Senão Mamãe Atira
"Nós vamos pegar esses animais!"

Perdido no catálogo da Netflix às 4h de uma quarta-feira qualquer, decido encarar o enredo tosquíssimo de Pare! Senão Mamãe Atira, completando 30 anos em 2022.

A intenção era assistir Stallone Cobra ou Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu, mas na falta, juntei o protagonista (Sly) de um e o gênero (comédia) do outro.

No final das contas, o importante é que habemus papo!

Resumão porco da obra

O longa não passa de mais uma comédia policial qualquer dos anos 90, fato!

Nessa trama furreca, a mãe de um sargento da polícia acaba se tornando sua parceira após testemunhar um crime, basicamente graças às habilidades de fofoqueira.

Tratasse de uma senhorinha tão ingênua quanto malandra, com o perdão da contradição. Ao mesmo tempo que limpa a arma do filho afogando na pia com detergente, é capaz de levar vantagem ao negociar com contrabandistas.
Pare! Senão Mamãe Atira

Aquele sorriso amarelo

Enquanto isso, Stallone como protagonista é qualquer coisa, menos engraçado. Não à toa, praticamente todas as piadas giram em torno da coroa, o que colabora para que sejam repetitivas.

Diálogos e situações podem arrancar um sorriso ou outro, cantinho da boca, nada além!
Sylvester Stallone de fralda em Pare! Senão Mamãe Atira
Procure uma cena mais tosca que Sylvester Stallone de fralda e falhe miseravelmente!

Bandidos randômicos

Economizaram e muito no núcleo dos malfeitores. É basicamente o chefe e três ou quatro capangas, um deles com uma rinite braba!

Falta aquele vilão responsa para marcar a cara, sabe?

Aliás, falta tanta coisa…

Não há ação ou carga dramática, somente marasmo!

O roteiro até tenta trabalhar algo, como o motivo do policial ser retraído e seu relacionamento amoroso conturbado com a chefe, mas é um bagulho tão jogado que se torna nulo!